Síndrome Pós-Férias
01/02/2016
Leandro Teles (216 articles)
Share

Síndrome Pós-Férias

Depois da tempestade, a bonança. É nesse clima que entramos de férias, meses e meses de trabalho suado, pressão, desgaste físico e mental e enfim, um momento para descansar, viajar, encontrar pessoas queridas, uma fase de renovação. Mas, e depois da bonança, vem o quê? Muitas vezes, voltamos para a tempestade, para um contexto parecido com aquele que deixamos antes de sair de férias, fazendo do milagre das férias um alívio apenas transitório. E á desse momento que iremos falar nesse pequeno texto, do retorno ao trabalho ou a vida escolar.

A chamada síndrome pós férias é um conjunto de sinais e sintomas que podem acompanhar esse período de readaptação do relógio biológico e de reajuste do ritmo de vida. A grande maioria das pessoas sente desconforto psíquico, físico e oscilação cognitiva nessa retomada. Mas, na maioria das vezes, os sintomas são transitórios (de 2 a 10 dias de evolução) e de leve intensidade, não necessitando intervenção.

Agora, cerca de ¼ da população pode apresentar sintomas mais intensos e arrastados (acima de 2 semanas) com impacto evidente na qualidade de vida e do rendimento profissional, escolar ou social, configurando uma situação mais preocupante. Esse profissional está em risco de quadros depressivos, fenômenos ansiosos, distúrbios de sono, sintomatologia clínica como dores de cabeça, tensão muscular, alterações gastrointestinais, além do risco de abuso de substancia, como álcool e medicamentos.

Acredita-se que cerca de 40% das pessoas já saem de férias pensando no impacto desagradável e estressante do retorno. Outro dado alarmante é que 5% dos brasileiros retornam ao trabalho mais estressados do que quando saíram de férias (tendo as férias feito um efeito negativo com relação ao estresse). Cerca de 65% volta sentindo-se melhor, mas perdem esse efeito inicial em 1 semana no ritmo do retorno (sendo essa uma duração muito aquém do esperado para um evento de férias anuais). Apenas 20% conseguem manter a médio / longo prazos o ganho obtido nas férias. Como podemos ver o impacto do pós férias é subdimensionado, pouco ou nada se fala dos sintomas de readaptação que são intensos em mais de 5 milhões de brasileiros.

 

Síntomas da Síndrome Pós-Férias
– FADIGA FÍSICA e MENTAL
– IRRITABILIDADE / INTOLERÂNCIA
– TRISTEZA e FALTA de MOTIVAÇÃO
– BAIXO RENDIMENTO COGNITIVO
– FRUSTAÇÃO
– SINTOMAS FÍSICOS (Intestinal / tensão muscular / dor de cabeça / insônia / tontura)

 

 

A causa da síndrome pós férias é multifatorial:

Mudança do relógio biológico

Durante as férias dormimos e despertamos em horários mais flexíveis e muitas vezes muito diferentes do que estamos habituados no cotidiano. Isso sem contar no eventual fuso horário das viagens e de cochilos eventuais no período da tarde. Férias de 30 dias são mais do que suficientes para alterar de forma bastante contundente nosso relógio biológico, que precisará ser reajustado no retorno ao trabalho. Além do ritmo de sono, alteramos horários de refeições, horário de pico de atividades, entre outras mudanças cronobiológicas. O maior sincronizador do nosso relógio interno é o hábito, por isso demoramos um pouco no retorno eu perfil de funcionamento que estávamos habituados.

Retorno a um contexto estressante

O retorno ao trabalho pode estar associado ao retorno ao trânsito, às pressões no trabalho, a pagamento de contas, acúmulo de trabalho, mudanças internas que exigem mais adaptações, acúmulo eventual de tarefas (férias de colegas ou remanejamento pós demissões), problemas de relacionamento interpessoal no trabalho, etc. Adicione ainda toda nossa instabilidade política e econômica, o aumento nas taxas de demissões (mercado de trabalho difícil), inflação elevada (redução do poder de compra), o que gera ainda mais ansiedade e menor poder de barganha por parte do empregado.

Problemas na estrutura do emprego

Muitas vezes a intensidade dos sintomas pós férias vem sinalizar que algo já não vinha bem. Cerca de 90 % das pessoas que se queixaram de sintomas prolongados já se sentiam pouco motivadas, pouco valorizadas e desanimadas com o trabalho antes das férias. Muitas vezes saímos e acreditamos no milagre das férias, que o retorno será marcado por uma nova fase, um novo clima e que os problemas serão resolvidos em um passe de mágica. Na prática isso quase nunca ocorre. No retorno os problemas estão todos lá, te esperando pacientemente, gerando frustração e um contraste mais forte devido ao seu afastamento. Por isso, a síndrome pós férias deve ser vista como um possível marcados de insatisfação crônica e necessidade de redirecionamento profissional ou pessoal.

As áreas de atuação que mais apresentam esses sintomas são: pessoas que trabalham no mercado financeiro, profissionais da saúde e pessoas do ramo de informática. Áreas marcadas por turnos, pressões (estresse crônico) e por vezes instabilidade profissional.

Quanto mais longas as férias, mais difícil pode ser a adaptação, assim como

EVENTOS ESTRESSANTES do RETORNO das FÉRIAS
Ajuste do Relógio Biológico
Acúmulo de TRABALHO
ADAPTAÇÃO a MUDANÇAS
FRUSTRAÇÃO

 

Maior RISCO
– Pessoas pouco motivadas com o trabalho
– Baixo reconhecimento profissional
– Pessoas com tendência a Depressão e Ansiedade
– Férias Longas e infrequentes

 

 

7 DICAS PRECIOSAS para EVITAR ou AMENIZAR a Síndrome Pós Férias

  1. Readaptação mais lenta e progressiva
    Sempre que possível procure ir regulando seu relógio biológico nos dias que antecedem o retorno ao trabalho. Planeje para adiantar o sono progressivamente, até 1 hora por dia. Caso esteja viajando, o ideal seria voltar com 48 horas de antecedência, principalmente se houver fuso horário relevante;
  2. Férias mais curtas e frequentes
    Para pessoas mais sensíveis ao retorno, seria recomendado que as férias fosse mais curtas e frequentes. Do tipo 2 X de 15 dias ou 3 X de 10 dias. A logística fica mais fácil, o retorno mais suave e o peso em cima de uma única saída fica em menor.
  3. Reavaliar sua rotina pós férias
    O período de férias é uma janela de oportunidade para revisão de diversos aspectos da sua rotina. Serial muito recomendável que você pudesse retornar em um ritmo mais saudável, com atividade física, gerenciamento melhor do tempo, hábitos alimentares saudáveis, resolução de conflitos, etc. Muitas vezes esperamos mudanças de forma muito passiva, é fundamental intervir no estilo de vida para evitar excesso de estresse durante o longo período entre as férias. Evite entrar de cabeça no trabalho, com jornadas longas, querendo resolver tudo nos primeiros dias, tentando responder todos os e-mails atrasados e tal, programe-se para arrumar as coisas com o máximo de calmo possível evitando se estressar logo nos primeiros dias de retorno.
  4. Programação das férias
    Item importante e referente ao pré férias. Muita gente acaba programando errado saída de férias, acabam se cansando, se estressando e desperdiçando tempo e dinheiro. Se for para descansar, escolha um lugar tranquilo, sem muito agito, parece óbvio, mas muita gente peca na escolha de datas, locais, hora de ir e voltar, logística, pessoas que te acompanharam e por aí vai.
  5. Usar técnica de ativação nos primeiros dias
    Nos primeiros dias fundamental ajudar o corpo e a mente a se ativar logo pela manhã e entrar no clima. Abra as janelas, se exponha a luz do dia, tome um banho mais fria, alongue-se, tome uma xícara de café, enfim. Utilize de estimulantes naturais para que o cérebro entenda que hora de mudar a programação, de voltar ao modo de produtividade e sair do modo descanso.
  6. Manter atividades de lazer e sociais no pós férias
    Uma transição mais tranquila é possível se você não abdicar completamente das atividades de lazer e sociais. Busque mesmo durante a semana de trabalho, momento de encontro com amigos, atividades de lazer, hobbies, que funcionam muito bem como válvulas de escape. O mesmo vale para finais de semana e feriados. Com isso, o acúmulo de estresse acaba se dissipando e o peso sobre as férias é menor.
  7. Valorizar o lado positivo do retorno
    Esse item é fundamental. Trabalhar mentalmente o lado positivo do retorno à rotina. Não é possível que seja tudo ruim. Voltar pra casa, encontrar os amigos de escola ou trabalho, produzir, etc. A rotina e o dia-a-dia trivial também tem seus atrativos. Por vezes ficamos muito focado nos aspectos negativos e amplificamos a percepção de sofrimento.
DICAS para Amenizar o ESTRESSE do RETORNO
1-   Readaptação Lenta e Progressiva
2- Tirar Férias mais curtas e Frequentes
3- Reavaliar a Rotina Pós Férias
4- Eleger Lugares adequados para as Férias
5- Usar técnicas de ativação cerebral nos primeiros dias
6- Manter atividades Sociais e de Lazer
7- Valorizar o Lado Positivo das Rotinas (Retorno)
Leandro Teles

Leandro Teles

Neurologista graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com especialização no Hospital das Clínicas (HCFMUSP). É membro da Academia Brasileira de Neurologia (ABN) e também atua como consultor em programas de TV, rádio, revistas, jornais e portais na internet com o intuito de melhorar a qualidade de vida das pessoas através da disseminação do conhecimento médico. O doutor Leandro está frequentemente presente no Programa Mulheres (TV Gazeta) e Vida Melhor (Rede Vida) e também já participou como consultor ou entrevistado em programas como: Todo Seu, Você Bonita, Notícias & Mais, Hoje em Dia, Domingo Espetacular, entre outros. Também é colunista fixo do portal Vivo Mais Saúde, ao lado de nomes como Márcio Atalla, Drauzio Varella e Laura Müller.