Enxaqueca no verão
05/01/2016
Leandro Teles (216 articles)
Share

Enxaqueca no verão

Dor de cabeça é um sintoma extremamente frequente. Estima-se que acima de 90% da população mundial tenha dores eventuais, sendo que 50% dela apresenta impactos na sua rotina diária dado a frequência ou intensidade dessas dores. Existem cerca de 200 tipos de dores de cabeça descritos, sendo a mais comum a cefaleia tipo tensional (muscular), seguida da famosa e incapacitante enxaqueca.

Portanto, a enxaqueca é um dos tipos de dor de cabeça, um tipo crônico e frequente, que pode transformar a vida da pessoa em um verdadeiro inferno. Estima-se que até 25 % das mulheres (1 a cada 4) e 10 % dos homens apresentam crises de enxaqueca recorrentes.

 

Como reconhecer uma crise de enxaqueca

As dores da enxaqueca são de forte intensidade, por vezes lateralizadas e de características geralmente pulsáteis (como um coração batendo dentro da cabeça). Além da dor, e enxaqueca traz náuseas, vômitos, franca intolerância à luz, ruídos e a odores fortes. Sem medicamento, uma crise pode durar até 3 dias seguidos e ser muito incapacitante. A pessoa com enxaqueca apresenta piora quando se movimenta, por isso busca frequentemente ficar em repouso em lugares escuros e silenciosos. Não bastasse toda essa enxurrada de sintomas, algumas pessoas com enxaqueca ainda sentem alguns sintomas neurológicos antecedendo a crise, chamados de aura (como pontos brilhantes na visão, formigamentos, vertigem, entre outros).

Como Reconhecer a ENXAQUECA
1.     Dores lateralizadas (hemicrania – 60% das vezes)
2.     Pulsátil (latejante)
3.     Moderada a forte intensidade
4.     Acompanhada de náuseas ou vômitos
5.     Intolerância à luz, ruídos e odores fortes
6.     Piora com atividade física
7.     Duração de 4 a 72 horas
8.     Pode apresentar sintomas neurológicos (AURA – 20%)

 

Entendendo a Enxaqueca

A predisposição à enxaqueca é determinada geneticamente, por diversos genes que geram graus variados de tendência. Essa tendência genética irá se apresentar mais ou menos a depender de fatores ambientais como: oscilação hormonal, alimentação, privação de sono, estresse, entre outros fatores.

A dor é provocada por uma mistura de inflamação e dilatação das artérias, que é sentida de forma intensa por um sistema de controle de dor ineficiente.

Coisas que Provocam Crises de Enxaqueca
– Alteração de Sono
– Oscilação Hormonal (Mulheres)
– Estresse
– Alimentação
– Sedentarismo
– Calor Excessivo

Por isso o tratamento da Enxaqueca é dividido em medidas comportamentais e medicamentosa. É fundamental conhecer os gatilhos e evita-los na medida do possível (pois existem gatilhos modificáveis e não modificáveis). Praticar atividades físicas regulares, alimentar-se de 3 em 3 horas, seguir certa rotina de sono e investir em medidas anti-estresse. Do ponto de vista do tratamento com medicamentos existem 2 questões: medicamentos que cortam a crise e seus sintomas (uma vez que essa começou) e medicamentos que previnem o aparecimento da crise (profiláticos ou preventivos).

A conduta deve ser personalizada para cada paciente. Aqueles com crises intensas ou muito frequentes devem procurar um especialista (Neurologista) para um tratamento mais adequado.
 

Porque a Enxaqueca piora no Verão?

 
O verão é geralmente a pior época do ano para os portadores de enxaqueca. Nessa época, as crises podem piorar em frequência, duração e intensidade, atrapalhando as férias, viagens, festas e frustrando o verão de muita gente que tem o problema ou que convive com portadores de enxaqueca. Os fatores de piora são variados e vão desde efeito direto do calor até a mudança do estilo de vida rotineiro por conta das férias e viagens.

O excesso de Sol, por exemplo, pode levar a alteração o calibre dos vasos e predispor a uma crise (tanto pelo calor como por desidratação). Além disso, a alteração de sono (para mais ou para menos), os alimentos gordurosos e o excesso de álcool (especialmente o consumo de vinho tinto) são outros culpados potenciais pela piora sazonal. Pesquisas apontam para uma elevação de 7 % no risco de crises para cada 5º C de aumento da temperatura.

Seguem algumas dicas para não deixar a enxaqueca estragar o seu Verão:

  1. Hidratação: abuse da água, sucos, isotônicos, agua de côco, etc.
  2. Evite álcool em excesso (principalmente vinho tinto);
  3. Alimente-se de 3 em 3 horas. Prefira comidas naturais, de fácil digestão, com pouca gordura, condimentos e cafeína. Evite também os embutidos e queijos amarelos;
  4. Proteja-se do Sol e do calor: óculos escuros, chapéu, boné, guarda-sol, ventiladores, ar condicionado, etc.
  5. Procure manter certa regularidade de sono (não se privando demais e também não exagerando na dose);
  6. No caso de crise de enxaqueca iniciando: afaste-se do sol e de locais muito iluminados e barulhentos, interrompa qualquer atividade física e procure descansar ou dormir. Logo no começo faça uso de medicamentos apropriados prescrito por seu médico de confiança. Compressas frias na cabeça também podem ajudar;
  7. No caso de crises acima de 1 X ao mês (no verão ou fora dele) buscar ajuda especializada para delinear o melhor tratamento.
Leandro Teles

Leandro Teles

Neurologista graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com especialização no Hospital das Clínicas (HCFMUSP). É membro da Academia Brasileira de Neurologia (ABN) e também atua como consultor em programas de TV, rádio, revistas, jornais e portais na internet com o intuito de melhorar a qualidade de vida das pessoas através da disseminação do conhecimento médico. O doutor Leandro está frequentemente presente no Programa Mulheres (TV Gazeta) e Vida Melhor (Rede Vida) e também já participou como consultor ou entrevistado em programas como: Todo Seu, Você Bonita, Notícias & Mais, Hoje em Dia, Domingo Espetacular, entre outros. Também é colunista fixo do portal Vivo Mais Saúde, ao lado de nomes como Márcio Atalla, Drauzio Varella e Laura Müller.