Transtornos de Ansiedade
04/09/2015
Leandro Teles (216 articles)
Share

Transtornos de Ansiedade

A ansiedade é um processo físico e mental ATIVADO em situações de medo, receio, diante do desconhecido e em momentos de tensão emocional. Ela pode ser NORMAL ou PATOLÓGICA.

Ansiedade Normal: Trata-se de um sentimento de receio, aflição, com alterações físicas como taquicardia, sudorese, dilatação de pupila, tremores, etc. Os sintomas são autolimitados, direcionados a uma situação peculiar e são proporcionais ao risco envolvido. Todo mundo se sente ansioso em situações como: dia do casamento, tentativa de assalta, montanha russa, entrevista de emprego, apresentação importante, etc. A ansiedade NORMAL ajuda o ser humano, cria um ambiente cognitivo de apreensão salutar e de tomada rápida de decisões.

Ansiedade Patológica: Ela se torna doença quando passa a ser direcionada a situações comuns do dia-a-dia, ou quando é uma resposta absolutamente desproporcional ao risco, ou mesmo quando é mantida cronicamente. Seja como for, a doença é definida quando surge impacto na qualidade de vida do pessoa. Esse tipo de ansiedade limita a percepção e dificulta a tomada de decisões, evoluindo com restrição social e impactando negativamente diversos aspectos da vida da pessoa.
Como podemos perceber o que diferencia a Ansiedade Normal da Doença é a INTENSIDADE, os DESENCADEANTES e o impacto na FUNCIONALIDADE.

Sintomas Físicos Sintomas Psíquicos
– Taquicardia (palpitação) – Angustia (apreensão)
– Falta de Ar – Medo excessivo
– Tremores – Irritabilidade
– Dor no peito – Intolerância
– Fome excessiva – Sensação de estar “a flor da pele”
– Dor de estômago \ diarreia – Dificuldade em desligar (insônia)
– Tensão muscular – Sensação de morte iminente

 

Transtornos de Ansiedade

Os transtornos de ansiedade formam um grupo extenso de disfunções que trazer franco comprometimento da funcionalidade da pessoa. Trata-se de distúrbios comuns (cerca de 10 a 20 % da população), um pouco mais frequentes em adultos jovem com predomínio no sexo feminino e de ocorrência em todas as culturas conhecidas.
A causa é complexa e varia de caso a caso. Existe uma predisposição genética, mas vários fatores ambientais podem determinar ou descompensar os sintomas. O ritmo de vida, os ambientes, o tipo de criação e a presença de traumas pontuais podem culminar na amplificação da ansiedade normal e iniciar a doença propriamente dita.

Conheça os 7 TIPOS de TRANSTORNOS de ANSIEDADE (distinção BREVE)

 

TIPOS de TRANSTORNOS de ANSIEDADE
1-    TAG (transtorno de ansiedade generalizada)
2-    Síndrome do Pânico
3-    Agorafobia
4-    Estresse Pós Traumático
5-    TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo)
6-    Fobias Específicas
7-    Ansiedade Orgânica

 

  1. TAG (Transtorno de Ansiedade Generalizada)
    É a forma mais comum de ansiedade patológica. Nela a pessoa sente-se grande parte do tempo ansiosa. Com uma pressão antecipatória, uma tensão excessiva e desproporcional aos eventos do dia-a-dia. Pode haver sensação de respiração curta, tremores, taquicardias, insônia (dificuldade de desligar), irritabilidade, baixa tolerância, sensação de estar “a flor da pele”, etc. São sintomas que podem oscilar em intensidade durante o dia, mas são praticamente constantes em boa parte dos dias.
  2. Síndrome do Pânico
    Trata-se do aparecimento de crises intensas e repentina de ansiedade. É uma forma dramática, intensa e incapacitante de ansiedade. Pode ocorrer em situações específicas ou surgir “do nada”. A duração dos episódios gira em torno de 10 a 20 minutos, mas podem surgir crises mais prolongadas. O paciente é tomada por sintomas físicos e psíquicos avassaladores. Psíquicos: sensação de morte iminente, medo extremo, desespero e angústia; Físicos: Dor no peito, falta de ar, formigamento em extremidades, tremores, sudorese fria, taquicardia, etc., são sintomas comuns. É muito frequente as crises de pânico serem confundidas com infarto ou arritmias em um primeiro momento.
  3. Agorafobia
    É uma complicação muito comum do pânico e das fobias. O paciente que experimentou uma crise forte de ansiedade, passa a temer ter novas crises. Esse medo de passar mal leva a mais tensão antecipatória e faz com que o paciente evite lugares aonde pode ter dificuldade em pedir ajuda ou escapar caso tenha crise de ansiedade. A agorafobia é a base da restrição social e o isolamento progressivo visto em paciente com pânico.
  4. Estresse Pós TRAUMÁTICO
    É quando os sintomas de Ansiedade (seja na forma contínua, seja na forma intermitente) ocorrem após um trauma psíquico intenso (sequestro, violência, ameaça, acidente, etc.). São comum flash backs e pesadelos relacionados ao evento em questão.
  5. TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo)
    Ocorre quando pensamentos obsessivos trazem ansiedade que só é aliviada por comportamentos compulsivos (repetitivos e desmotivados). São exemplos: lavar as mão repetidamente, TOC de simetria, limpeza, compulsão alimentar, compulsão por jogos, compras, etc.
  6. Fobias Específicas
    Ocorre quando a pessoa manifesta tensão e ansiedade intensas diante de determinada situação ou objeto. Por exemplo: baratas, elevador, altura, lugares fechados, etc.
  7. Ansiedade Orgânica
    Abstinência a Medicamentos; uso de drogas, hipertireoidismo, etc.

Tratamento

O tratamento passa pelo reconhecimento dos sintomas e busca de ajuda especializada. O tratamento é fundamental para não ocorrer complicações da ansiedade, tais como: insônia, obesidade, isolamento social, incapacidade ao trabalho, falência matrimonial, etc.

O tratamento é dividido em: mudanças no estilo de vida e medicamentos.

Mudança no Estilo de Vida: Atividade física aeróbica regular, alimentação balanceada evitando álcool e estimulantes, atividades de lazer, medidas anti estresse, psicoterapia, etc.

Medicamentos

O tratamento medicamentoso é altamente eficaz nos casos de ansiedade. Existem opções para uso imediato (tranquilizantes) e para uso contínuo (prevenção). Os medicamentos são, de modo geral, mantidos pelo período mínimo de 6 meses.

Medidas para COMBATER a ANSIEDADE
– Atividades Físicas Regulares
– Alimentação balanceada (evitando estimulantes e álcool)
– Medidas contra o estresse (relaxamento)
– Terapia (psicoterapia \ terapia cognitivo-comportamental)
– Medicamentos (para cortar a crise ou preveni-las)
Tags Ansiedade
Leandro Teles

Leandro Teles

Neurologista graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com especialização no Hospital das Clínicas (HCFMUSP). É membro da Academia Brasileira de Neurologia (ABN) e também atua como consultor em programas de TV, rádio, revistas, jornais e portais na internet com o intuito de melhorar a qualidade de vida das pessoas através da disseminação do conhecimento médico. O doutor Leandro está frequentemente presente no Programa Mulheres (TV Gazeta) e Vida Melhor (Rede Vida) e também já participou como consultor ou entrevistado em programas como: Todo Seu, Você Bonita, Notícias & Mais, Hoje em Dia, Domingo Espetacular, entre outros. Também é colunista fixo do portal Vivo Mais Saúde, ao lado de nomes como Márcio Atalla, Drauzio Varella e Laura Müller.